Arquivo mensal: junho 2013

Como Brad Pitt e Angelina Jolie superaram a crise

Brad Pitt e Angelina Jolie

Angelina Jolie já deu provas de que a saúde é mais importante do que a vaidade. Retirou as duas mamas para diminuir o risco de 87% de desenvolver um câncer de mama, como já mostramos. Mas antes da atriz fazer essa revelação ela já aparentava sinais de anorexia e era vista em público visivelmente magra. Em um texto de Brad Pitt a revista “Identity Magazine” ele conta como ajudou a amada em um momento em que ela havia desistido de si mesma.

Veja abaixo o texto completo, publicado na página do Facebook da revista.

 

O Segredo do Amor

Minha mulher ficou doente. Ela estava constantemente nervosa por causa de problemas no trabalho, vida pessoal, seus fracassos e problemas com as crianças. Ela perdeu 13 quilos e estava com 40 quilos aos 35 anos. Ela ficou muito magra e estava chorando constantemente. Ela não era uma mulher feliz. Ela sofria constantemente de dores de cabeça, dor no peito e tensão muscular nas costas. Ela não dormia bem, caia no sono apenas pela manhã, e ficava cansada muito rápido durante o dia.

Nossa relação estava a ponto de acabar. Sua beleza estava deixando-a. Ela tinha bolsas sob os olhos, não cuidava nos cabelos e parou de cuidar de si mesma. Ela se recusava a fazer os filmes e rejeitava qualquer papel. Eu perdi a esperança e pensei que iríamos no divorciar logo…

Mas então eu decidi tomar uma atitude. Afinal, eu tenho a mulher mais linda do mundo. Ela é o ideal de mais de metade dos homens e mulheres do mundo, e eu era o único a ter permissão de dormir ao seu lado e abraça-la. Comecei a enche-la de flores, beijos e elogios. Eu a surpreendia e a agradava em todos os minutos. Eu dei diversos presentes e vivi apenas para ela. Eu falo em público apenas sobre ela. Incorporei todos os temas em sua direção. Eu a elogiei quando estávamos sozinhos e na frente de nossos amigos. Você não vai acreditar, mas ela floresceu. Ela estava melhor do que antes. Ela ganhou peso, não estava mais nervosa e me ama muito mais do que antes. Eu não tinha ideia de que ela PODIA amar tanto assim.

E então eu percebi uma coisa: “A mulher é o reflexo de seu homem”.

Brad Pitt

Anúncios

ONG realiza mostra para alertar sobre impacto do HIV

Vinte títulos, entre ficções e documentários, serão exibidos a partir de sexta (19)

"Rock Hudson - Belo e Enigmático": um dos filmes em cartaz na mostra (Foto: Divulgação)

“Rock Hudson – Belo e Enigmático”: um dos filmes em cartaz na mostra (Foto: Divulgação)

Pela sétima vez, a ONG Grupo pela Vidda/SP realiza um evento para alertar o público sobre o impacto do vírus HIV na sociedade. “Cinema Mostra Aids” reúne vinte títulos, entre ficções e documentários, curtas e longas-metragens. O ciclo tem início na sexta (19), no Cine Olido e no Centro Cultural São Paulo, com ingresso simbólico de R$ 1,00.

Na lista de atrações nacionais, sobressaem duas fitas já exibidas na cidade, “Dzi Croquettes”, sobre o performático grupo carioca que desafiou o regime militar com purpurinas e irreverência, e “Meu Amigo Cláudia”, a respeito da transformista Cláudia Wonder (1954-2010), símbolo da cena underground paulistana da década de 80. Também há boas opções na programação de filmes estrangeiros. A principal delas é “Rock Hudson — Belo e Enigmático” (foto), retrospectiva da vida e da carreira do grande ator americano, vítima da aids em 1985, aos 59 anos. Estão previstas duas sessões nesta semana: sábado (20), às 18h, no Centro Cultural São Paulo, e às 19h, no Olido.

A morte que não mata mas mutila

Viviane Lima (vivifacts)

Sempre achei que ligações familiares no meio da noite fossem um mal sinal. Lamentavelmente eu estou certa, engraçado meu TCC ter sido sobre morte.

Acabo de receber uma notícia ruim, meu tio, irmão de minha mãe faleceu. Sentiu uma dor no peito, foi para o hospital e bateu as botas. Cantou pra subir, morreu.

Parece frio, mas depois de ver minha mãe cair em lágrimas, o que verdadeiramente me mata, me sinto anestesiada.

Veja bem, tive pouquíssimo contato com esse tio, ele morava no Ceará, mas faltava apenas um mês para vê-lo com minha mãe, afinal de contas é pra lá que vamos nas férias de julho.

É a terceira vez que vejo minha mãe se despedaçar, a mais velha de cinco irmãos. Perdeu a mãe atropelada, um ano depois minha tia sofreu um acidente e agora meu tio se vai. E ela tem aquela terrível sensação de que a família está acabando.

Deve doer, mas no meu avô que foi marido e é pai a dor deve ser ainda mais latejante. Minha mãe disse: “isso não é natural”. Fui obrigada a discordar.

A morte faz parte da vida, é algo natural embora não seja corriqueira.

Texto original