Arquivo mensal: dezembro 2012

Adolescentecom câncer compõe canção para se despedir dos familiares

Zach Sobiech

Quando se tem apenas meses de vida, como você diz adeus? Como tantos outros doentes terminais de câncer antes dele, Zach Sobiech viu na música uma forma de se expressar. Com apenas 17 anos de idade, ele criou criou uma canção comovente, intitulada Clouds ou em tradução livre “Nuvens”. No refrão ele diz “E nós vamos subir, subir, subir, mas eu vou voar um pouco mais alto. Vamos atravessar o telhado…”.

Em 2009, aos 14 anos, Zack foi diagnosticado com diagnosticado com Osteossarcoma, um tumor maligno que ataca os ossos. Várias operações e sessões de quimioterapia foram realizadas, mas em maio deste ano os médicos lhe disseram que o câncer havia se espalhado e que ele só tinha poucos meses de vida. Infelizmente pra ele a doença não tem mais tratamento.

blg 01 zach cancer captioned

Por mais doloroso e terrível a família dele criou uma fundação chamada Zach O Fundo Osteossarcoma Sobiech. Cada compra do álbum feito por Zack vai reverter o dinheiro para a pesquisa do câncer que ele tem. Também poderão ser feitas doações através do link  aqui.

 

Primeiro paciente de transplante de traquéia vive bem após 2 anos

Ciaran Finn-Lynch

Se você faz parte dos cerca de 30 milhões de brasileiros que sofrem de rinite, deve argumentar que ninguém sofre mais do que você na mais básica das atividades do corpo humano: respirar. Mas existe uma condição médica menos comum, na qual a traquéia se contrai e é obstruída até tornar a respiração um verdadeiro martírio: a estenose traqueal.

O norte-irlandês Ciaran Finn-Lynch era, em 2010, um garoto de onze anos que corria risco de vida diante deste problema que se agravava rapidamente. Mas um ineditismo cirúrgico, o transplante de traqueia, foi mais do que bem sucedido para ele: dois anos depois da operação, a saúde do pequeno britânico não poderia estar melhor.

O milagre das células-tronco

A necessidade de um transplante para salvar a vida de Ciaran foi constatada no começo de 2010. Em março, arranjaram um doador: um homem italiano que havia acabado de falecer seria o responsável por ceder a traqueia a Ciaran.

O maior medo dos cientistas era que o corpo do menino rejeitasse o novo órgão. Para evitar isso, criou-se uma estratégia brilhante: retiraram todas as células do corpo do homem falecido que havia na traqueia, reduzindo-a apenas à sua estrutura de colágeno. Algo como o “esqueleto” do órgão.

A este esqueleto, adicionaram células-tronco de Ciaran, além do tecido epitelial e de uma injeção de citocinas (células que estimulam o crescimento de outras células). Em outras palavras, colocaram no corpo do paciente uma traqueia “crua”, que foi se adaptando a ele. E funcionou.

Mais de 24 meses após a operação, o organismo do garoto não mostra nenhum sinal de rejeição. Ele respira perfeitamente bem, já cresceu onze centímetros e leva uma vida normal.

O sucesso torna os cirurgiões otimistas quanto ao futuro, já que o procedimento em Ciaran foi emergencial e sob a consciência dos vários riscos. Agora, é uma nova esperança na luta contra graves problemas respiratórios que acometem boa parte da população global. [Daily Mail/UCL/BBC]

HIV não tem cara

HIV ensaio

O Unaids (Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids) divulgou em julho deste ano, que 34,2 milhões de pessoas vivem com HIV no mundo, sendo 30,7 milhões de adultos, 16,7 milhões de mulheres e 3,4 milhões de menores de 15 anos. Joann Santangelo fotografou e gravou portadores do vírus durante um ano, o projeto tem o intuito de quebrar os estigmas e mostrar que é possível viver bem apesar da doença.  Esse projeto é parte do AIDS Services of Austin.

HIV- Richard

HIV - Portadores

A importância de nunca deixar de dizer “eu te amo”

Amanda Armelin

Amanda Armelin, quem convive com ela nem imagina tudo que ela teve que enfrentar. Amanda é um nome com origem no latim amandus, que significa que deve ser amada. E ela é realmente amável.

A primeira vez que vi Amanda pensei: “essa garota sei não hein, deve ser metida”. Magina! Só ela abria aquele sorriso enquanto buzinas no trânsito desesperado soavam. Sempre foi tão alegre e tão forte que muitos de seus amigos não sabem de todo sofrimento que seu coração carrega. Hoje? É só alegria…

Ouça abaixo o depoimento.

Música da semana – Love in the afternoon

Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já…

Pablo Neruda

Love In The Afternoon

É tão estranho
Os bons morrem jovens
Assim parece ser
Quando me lembro de você
Que acabou indo embora
Cedo demais…

Quando eu lhe dizia:
“Eu me apaixono todo dia
E é sempre a pessoa errada.”
Você sorriu e disse:
“Eu gosto de você também.”

Só que você foi embora
Cedo demais…

Eu continuo aqui
Com meu trabalho e meus amigos
E me lembro de você em dias assim
Dia de chuva, dia de sol
E o que sinto não sei dizer.

Vai com os anjos, vai em paz!
Era assim todo dia de tarde
A descoberta da amizade
Até a próxima vez…

É tão estranho
Os bons morrem antes
Me lembro de você
E de tanta gente que se foi
Cedo demais…

E cedo demais
Eu aprendi a ter tudo o que sempre quis
Só não aprendi a perder
E eu, que tive um começo feliz
Do resto não sei dizer.

Lembro das tardes que passamos juntos
Não é sempre, mas eu sei
Que você está bem agora
Só que este ano
O verão acabou
Cedo demais…