Nas ruas por uma vida

Caliane Boni Roque da Silva, tem apenas 10 anos de idade e precisa de uma cirurgia que pode salvar sua vida. Desde o nascimento,ela só consegue se alimentar pela boca, com o uso de duas bombas infusoras. A situação é tão delicada que Caliane não pode dormir fora de casa devido aos equipamentos, o médico que a trata desde criança vai se aposentar e a cirurgia só poderá ser feita no Hospital Sírio Libanês onde o Dr. João Gilberto Maksoud, a esperança da família, atende.

Como o custo aproximado da operação é de R$ 120 mil, amigos e familiares resolveram sair às ruas de São Carlos  (SP), para fazer ‘pedágios’ com o objetivo de arrecadar dinheiro. O plano de saúde da menina cobre os gastos com a alimentação especial, mas não a cirurgia.

CONTRIBUIÇÕES

Interessados em ajudar podem doar qualquer valor por meio de uma conta criada na Caixa Econômica Federal. Agência é 3855, operação 013, Conta Poupança Solidária 30-1. CPF: 394.791.928-02. Telefone para mais informações é  (16) 9185-0019 .

Envie uma mensagem de apoio para Gislaine Boni, mãe de Caliane.

Com apenas um mês de vida após sua primeira cirurgia

CONHEÇA A HISTÓRIA

Meu nome é Caliane, tenho 10 anos e sou um milagre!

Vou tentar contar resumidamente e espero do fundo do meu coração que você se interesse e dê a minha mãe a chance de contá-la com detalhes. Já sofri bastante e hoje ainda continuo na luta, sei que Deus está comigo, pois se não fosse por ele hoje eu não estaria entre minha família. Nestes anos todos tenho suportado muita dor! Nasci bem, mas após um erro médico depois de três dias de vida, o médico disse que eu havia nascido com um problema: Hérnia de Hiato.

Minha mãe tinha pouco conhecimento sobre o assunto e queria esperar para que pudesse resolver quando eu fosse maior, queria comemorar meu nascimento que foi tão esperado por todos, mas como o médico disse que era necessário fazer essa cirurgia enquanto eu ainda estivesse no hospital, que seria simples, etc. Então minha mãe confiando no conhecimento do médico, deixou-me sob seus cuidados e autorizou a cirurgia logo no dia seguinte pela manhã.

Mas o que era para ser uma simples e rápida cirurgia acabou se complicando e depois de mais de 04 horas e meia, o médico disse que tinha sido mais complicado do que ele havia pensado em principio, mas que ficaria tudo bem. Foram passando dias e não ficou nada bem, ninguém sabia ao certo explicar o que havia acontecido comigo. Desconfiada, minha família começou a pressionar os médicos e enfermeiros e acabou descobrindo que havia ocorrido um erro médico e que se eu não fosse transferida rapidamente, morreria em breve.

Minha mãe desesperada junto com toda família, buscaram socorro, para que eu fosse transferida daquele lugar o mais rápido possível, pois o médico responsável nem ia mais me ver na UTI do hospital, acabei sendo mandado para a área de isolamento. Mas o que era para uma tragédia, Deus todo poderoso transformou em milagre e me fez nascer de novo.Eu consegui ser transferida e sobrevivi.

Acabei sendo novamente operada e descobriu-se que nunca houve motivos para que a primeira cirurgia fosse feita. Foram erros seguidos que comprometeram minha infância. Sobrevivi, mas nenhum médico pode garantir que eu teria vida normal. Até hoje já passei por seis cirurgias, tive pseudômonas aos 05 meses, minha mãe chegou a morar no hospital. Fiquei conhecida no Hospital como: um Verdadeiro Milagre, ao sair viva daquela UTI.

Hoje já se passaram 10 anos e eu só me alimento através de uma gastrostomia, ou seja, durante a noite fico ligada à uma bomba infusora, nunca pude me alimentar via oral, não posso ficar longe de casa devido aos meus equipamentos, não posso dormir em uma amiguinha, não posso participar de um acampamento de férias, nem mesmo comer em um aniversário!

O tempo tem passado rapidamente e o médico que me acompanhou até agora está em vias de se aposentar, não há outro que possa fazer a cirurgia que me traga a vida normal, e é por esse motivo que busco sua ajuda neste momento tão importante. Minha mãe está tendo dificuldades para conseguir que o plano médico autorize minha cirurgia que hoje só pode ser feita no Hospital Sírio Libanês onde o Dr. João Gilberto Maksoud, talvez a minha única e última chance de conseguir ser uma pessoa normal, atende.

Publicado em setembro 13, 2012, em Na luta e marcado como , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: